quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Ligabue: Arrivederci, Mostro! (2010)

Eu não ia fazer resenha do álbum do Ligabue porque não acompanhava a carreira dele, apenas conhecia e gostava de algumas músicas, além de considerar o cantor um cinquentão muitíssimo bem apessoado. Sendo assim, não tenho nenhum parâmetro para comparar o atual lançamento. Entretanto, "Arrivederci, Mostro!" é tão bom que eu não poderia deixá-lo passar batido. Como eu disse no primeiro Classifiche: I Commenti, não tem uma música que não me agrade, e isso é tão raro.
Quando Canterai La Tua Canzone, o segundo single, é a música que abre o disco. Muito boa, com uma letra que fala de escolhas musicais, mas também das escolhas da vida, onde devemos (ou pelo menos deveríamos) levar em conta somente nossa própria opinião. Gosto bastante dessa canção, mas o cd tem melhores, como a segunda, La Linea Sottile, escolhida para ser o novo single. Considero esta uma das melhores músicas que ouvi nos últimos tempos. Adoro a melodia, a letra, cheia de antíteses, bem como a interpretação do Liga.
A terceira faixa, Nel Tempo, é um rockinho bem agitado, onde o cantor passeia pelo tempo, partindo de seu nascimento, citando personagens dos anos 60, que provavelmente marcaram sua infância, tais como Zorro e Braccobaldo (conhecido por aqui como Dom Pixote, lembra?), passando aos anos 70, 80 e daí por diante, revisitando assassinatos célebres como os dos juízes Enrico Falcone e Paolo Borsellino, mortos pela máfia siciliana. Uma canção feita de lembranças, que termina com um breve arrependimento por não ter havido tempo para guardar esses momentos, históricos ou da própria vida do cantor, em fotos.
A romântica Ci Sei Sempre Stata começa como uma das menos 'rock' do disco, e termina com um solo de guitarra deliciosamente empolgante, quase hipnótico. Recomendo.
O clima rock prossegue com La Verità è una Scelta, mas deixa o romantismo de lado e entra numa pegada mais sombria e barulhenta, que discorre acerca do que é a verdade e conclui que a verdade é uma escolha. Gosto muito!
Caro Il Mio Francesco é uma canção de formato epistolar onde Ligabue escreve ao Francesco (Guccini, cantor e escritor italiano) e fala sobre a vida, especialmente sobre a vida de artista, com seus prós e contras. Acho uma graça, delicada, ao mesmo tempo irônica e ácida nas críticas que faz.
Atto di Fede é outra das minhas preferidas, uma das letras mais poéticas, uma reflexão sobre a vida, que conclui que o mais importante não é o passado ou o futuro, é o agora. E não é mesmo?
Un Colpo All'Anima, escolhida para ser o primeiro single, fala de saudade, mas não de um jeito melancólico, pelo contrário. Ligabue se utiliza de um bom rock, com guitarras possantes no final, para falar da falta que alguém lhe faz..
A faixa seguinte é outra das minhas preferidas. Il Peso della Valigia era originalmente uma poesia  do livro "Lettere D'Amore Nel Frigo", lançado por Ligabue em 2006. Para "Arrivederci, Mostro!", o cantor resolveu transformá-la em canção, e o resultado não podia ser melhor. Uma canção que fala com delicadeza e dos medos que carregamos dentro das nossas pesadas malas imaginárias e que, ao final, descobrimos não serem tão grandes quanto pensamos.
A música mais diferente do disco é Taca Banda, nascida espontaneamente numa reunião de Liga com sua banda, e gravada ao vivo, com a participação de amigos e familiares no refrão, um simples "la la la". Ligabue abusa da ironia nessa canção deliciosa, onde quem assumiu a bateria foi Lenny Ligabue, filho dele, de apenas 11 anos.
A penúltima faixa, Quando Mi Vieni a Prendere? (Dendermonde, 23/01/09), é definitivamente a menos rock do disco e não poderia ser de outra forma. A música trata do ataque ocorrido em 2009 numa creche na cidade belga de Dendermonde, onde duas crianças e uma funcionária foram mortas a facadas, e doze ficaram gravemente feridas. O autor do crime invadiu o local totalmente vestido de negro, com os cabelos pintados de vermelho, e esfaqueou quem encontrou em seu caminho. Ligabue recria a tragédia desse dia através da visão de umas das crianças que, sem entender, assiste toda a loucura do "uomo nero". Ao final, não sabemos se a criança da música é uma sobrevivente ou vítima fatal. É a canção mais longa do disco e, de acordo com o site do cantor, de toda a sua discografia. Mas está longe de ser chata, ou cansativa. É uma canção que prende o ouvinte. Gostei dela já na primeira audição quando, ouvindo por alto, acreditava tratar-se de alguma coisa sobre a infância de Luciano. Até que, ao ouvir com atenção, percebi que não, que toda a coisa do "uomo nero" e a data no subtítulo realmente significavam algo. Pesquisando, cheguei facilmente ao ataque em Dendermonde e foi aí que eu tive a real noção do talento poético de Luciano Ligabue. As palavras são escolhidas acertadamente e fazem o ouvinte acreditar na criança que "fala". Seria fácil se fosse sobre ele, mas não, é um homem adulto se colocando no lugar de uma criança e descrevendo com perfeição as sensações dela a respeito da violência por que passara. O trecho mais dramático, na minha opinião, é "e l'uomo nero forse è qui perché ci vuol mangiare. Non vedo la forchetta, ma il coltello può bastare."(1) Inquietante, quase um soco na boca do estômago. A música se encerra com um pedido "vieni un po' prima, fammi una sorpresa."(2)

Depois do clima pesadíssimo de Quando Mi Vieni a Prendere?, o álbum se encerra com a otimista Il Meglio Deve Ancora Venire. "Sai di sicuro come va finire. Sei qui per dire, mi devi dire che il meglio deve ancora venire."(3) Sim, Liga, o melhor ainda está por vir. É o que esperamos.
Para terminar, afirmo sem dúvidas que Arrivederci, Mostro! é um dos melhores, senão o melhor, álbum italiano que ouvi nos últimos anos e, por essa razão, darei nota máxima. Como disse no começo, não tenho como compará-lo aos trabalhos anteriores do cantor, mas gostei de absolutamente todas as músicas. Acho que isso não acontecia desde Uguali e Diversi (Gianluca Grignani, 2002). A conclusão que tiro disso é: novatos, aprendam como se faz um disco primoroso. É sem pressa, sem nervosismo. Como a Thay comentou no Piccoline #16, Ligabue lançou Arrivederci, Mostro! cinco anos depois de "Nome e Cognome". Claro, para um cantor iniciante, cinco anos pode ser o suficiente para cair no esquecimento do público, mas apressar-se demais só resulta em discos chatos, vazios e de qualidade inferior, como temos visto com bastante frequência. Se bem que, para alguns cantores nem todo o tempo do mundo seria suficiente, mas ter um pouco de calma já seria um bom começo.
Destaque ainda para o encarte do álbum, onde a imagem que vemos na capa, o peixe que carrega a cidadezinha no dorso, é desmembrada no interior, mostrando os pequeninos detalhes e deixando-nos com vontade de desvendar ainda mais a fundo os segredos do lugar.

Melhor(es) música(s): La Linea Sottile, Atto di Fede, Il Peso della Valigia, Il Meglio Deve Ancora Venire
Pior(es) Música(s):
Nenhuma
Nota: 10



(1) E o homem de preto talvez esteja aqui porque quer nos comer. Não vejo o garfo, mas a faca pode ser o bastante.
(2) Venha um pouco antes, faça-me uma surpresa.
(3) Você sabe com certeza como isso vai acabar. Você está aqui pra dizer, você deve me dizer que o melhor ainda está por vir.

9 comentários:

Thay disse...

Não podia deixar de comentar a resenha do álbum do cinquentão mais interessante da Itália.
Ligabue é, na minha humilde opinião, o maior nome da música italiana hoje. Por tudo, pela voz, pelo talento como compositor, como músico, pela sensibilidade, enfim, a lista é longo.
Arrivederci, Mostro! é um álbum primoroso e merece sem dúvida nota 10!
Parabéns por essa incrível resenha, Bru!
Beijos!!!

Aléxiia disse...

Ainda não ouvi o cd todo, mas as musicas que eu tenho gostei muito *-*
O que realmente me chamou a atenção foi a capa, achei a imagem tão legal que fui pesquisar quem era Ligabue, até então desconhecido pela minha pessoa.
Muito legal seu blog, tbm curto musica italiana mas não conheço tantos cantores, já estou seguindo, beiijos!

Bruna / Chiisana Hana disse...

Oi, Aléxiia!!
Se já ouviu e gostou de algumas músicas é bem provável que goste também das demais. Eu fiquei encantada!
É, a capa chama mesmo a atenção!
Que bom que gostou do blog!! Começa assim, conhecendo um cantor ali, outro acolá, e quando você perceber já conhecerá muitos!
Obrigada pelo comentário e continue acompanhando o blog para ficar por dentro das novidades!

Bruna / Chiisana Hana disse...

Hey, Thay!!
Nosso cinquentão merecia mesmo ter o álbum com a maior nota!
E ele hoje é o maior nome da música italiana? Concordo sem ressalvas. No pobre cenário musical italiano, ele se destaca por diversas razões.
Valeu, Thay!!
Bjs

Italia In Onda disse...

BRAVA BRUNA!!!!!!!!!
Teus excelentes comentários me inspiram a fazer um programa dedicado exclusivamente a esse grande roqueiro italiano.
E que talento vc tem p/ escrever, hein, fia? Parabéns mesmo!
Vou falar do blog quando fizer o programa.
Tanti baci!!!!

Bruna / Chiisana Hana disse...

Agora eu fiquei vermelha!!! Haha!
Obrigada, Ornella!! Fico muito feliz por ter feito um trabalho legal na resenha do disco com a maior nota do blog!!!!!
"Arrivederci, Mostro!" me levou a conhecer melhor o Liga e entender o porquê de ele ser o que é. Virei fã desse cinquentão que demonstra ainda ter fôlego para muitos anos de rock! E um programa sobre ele vai o máximo!!!!
Valeu mesmo!!! E já sabe, né? UM CHEIRO!!!

separovicfr disse...

Bruna, turma do Blog,
Acabei de voltar da Itália e fiquei encantado com os artistas de sucesso que vi na MTV It, RAI, etc. Realmente Ligabue é fantástico, a sonoridade, timbre de voz, letras... Se alguém do blog toca guitarra/violão estou tirando os acordes/tabs e posso compartilhar em breve. Abcs e parabéns pelo Blog.

Bruna / Chiisana Hana disse...

Oi, separovicfr!
Liga é mesmo muito bom. "Arrivederci, Mostro!" fez com que eu me interessasse mais pelo cantor e o admirasse ainda mais.
Poxa, meu sonho era aprender a tocar guitarra, mas sempre fiquei adiando. Agora minhas mãos estão meio "bichadas" e acho que não dá mais...
Obrigada por visitar o blog e deixar seu comentário! Até mais!

Flávia L. Abelino disse...

Ligabue è veramente un bellissimo artista... mi piace tutte le canzone di lui. Bravo. Viva la musica italiana.