quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Melhores e piores da música italiana em 2009

O ano de 2009 está acabando, e decidimos relembrar quais foram os melhores e os piores momentos desse ano.

Piores de 2009

1. Morte da Valentina Giovagnini

Pode-se dizer que o ano de 2009 começou com o pé esquerdo com a morte precoce da cantora da província de Arezzo nos primeiros dias do ano. Revelação do Sanremo de 2002 com a música Il passo silenzioso della neve, a cantora estava para lançar o segundo álbum da sua carreira. O álbum, "L'amore non ha fine", foi lançado em 15 de maio deste ano e deixou os fãs com a triste sensação de não poder desfrutar de novas criações da Valentina.

2. Resultado do Sanremo na categoria Cantanti

Ok, sempre nos decepcionamos com o resultado do SR. É fato. Só que esse ano tínhamos esperanças, como Dolcenera, Gemelli Diversi, Francesco Renga, Alexia e outros. Acabou que a terceira posição ficou com o Sal da Vinci, discípulo do Gigi d'Alessio com uma música de corno; o segundo com o Povia e a famigerada música do ex-gay; e o primeiro com Marco Carta e a sua fraquinha música La forza mia. Não dizemos que não poderia ser pior porque poderia sim, mas que dava pra ser beeem melhor, isso dava!

3. Ayris

Então, a Syria que já vinha do péssimo "Un'altra me", deu uma de Beyoncé Knowles/Sasha Fierce e virou Airys. Bem, basta dizer que o resultado foi terrível. Syria, volte a interpretar músicas como L'amore è e Senza regole, por favor? Seus fãs agradecem.

4. Fotografie da Giusy Ferreri

Nossa querida Giusy que vinha a cada dia nos conquistando mais e mais, despencou no nosso conceito com o pavoroso álbum de regravações Fotografie. Dúvida, veja a resenha aqui.


Melhores de 2009

1. Novas cantoras

O ano que acaba foi extremamente positivo nas revelações femininas: Arisa, Alessandra Amoroso, Noemi e Malika Ayane despontaram e deram um ânimo a música italiana da atualidade. Cada uma no seu estilo, elas conquistaram o público e nós torcemos para que elas se consolidem como a nova geração de cantoras italianas. Destacamos a Alessandra Amoroso, que no seu primeiro álbum de inéditas ficou à frente de grandes cantores italianos na lista dos mais vendidos. Na seção Resenhas desse blog, você pode ver a opinião das colaboradoras desse blog sobre os álbuns de estreia de Arisa, Alessandra Amoroso e Malika Ayane.

2. Resultado do Sanremo na categoria Nuove Proposte.

Alguns bons artistas se apresentaram nessa categoria, como Irene Fornacciari e Malika Ayane. Contudo, o prêmio foi, merecidamente, dado à Arisa, que foi o grande destaque de toda a competição.

3. Amiche per l'Abruzzo

Bom, todo mundo conhece aquela frase "se a vida te der limões, faça uma limonada". Foi isso que a Itália fez através das suas cantoras, lideradas por Laura Pausini, Giorgia, Fiorella Mannoia, Gianna Nannini e Elisa. O show foi fantástico e todo mundo pôde acompanhar pelas rádios. Inclusive nós aqui do Brasil.

4. Brasil novamente no cenário dos cantores italianos

Laura Pausini, Andrea Bocelli e Sonohra. Esses artistas passaram por aqui, tendo inclusive shows da Laura Pausini e Andrea Bocelli. Comparando com anos que nenhum artista da Bota passa por aqui, o ano foi positivo.

Assim, a Equipe Música Italiana deseja um ótimo ano de 2010 a todos os seus leitores. Que ao final do próximo ano a nossa lista de melhores momentos seja imensa e dos piores seja bem curtinha! Até o ano que vem!!! Abraços!!!

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Piccoline #14

Sonohra: Boa notícia para os fãs da dupla de Verona! O novo álbum do duo será lançado em fevereiro do ano que vem. Antecipando o álbum, virá o single "Seguimi o uccidimi", cujo clipe será gravado em dezembro na cidade dos irmãos Fainello.

Finley: Em 2010 novo álbum também para o banda Finley. Um minialbum, "Band at work", antecipa a saída do novo cd.

Le vibrazioni: E mais um novo álbum a ser lançado no início do ano que se aproxima. O título do álbum do grupo de Milão é "Le strade del tempo". O último trabalho em estúdio da banda foi "Officine Meccaniche" (2006).

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Fotografie - Giusy Ferreri (2009)

De cara, não gostei do aspecto clean da capa. Para mim, Giusy tem que ser puxada no brega. De leve, mas brega. Aí vi o tracklist e fiquei ainda mais com o pé atrás. Como assim “Ciao Amore Ciao”? Não é possível? Será que a doida regravou a música do Luigi Tenco? Aí fui procurar mais informações e descobri que o disco é todo de regravações. Ok. Até aí tudo bem. Laura Pausini fez seu “Io Canto” e, exceto poucas canções que considero equivocadas, o resultado foi muito bom. Acontece que não foi assim com o “Fotografie” de Giusy. Não gostei de nada nesse disco. NADA. Odiei com toda a força. Destaque para a versão de Besame Mucho, que já me parece música de zona de baixo meretrício, e conseguiu ficar ainda pior.
A própria cantora justifica o lançamento dessa bomba, digo, desse álbum de regravações dizendo que a gravadora quis algo para que ela não ficasse um espaço muito grande fora da mídia, já que o próximo disco de inéditas deve sair apenas no final de 2010. Esperarei por ele, já que o Fotografie não faz jus ao talento de Giusy. Nem vou me dar ao trabalho de comentar música a música. Não vale a pena. E Giusy, querida, vê se aprende: é melhor ficar um ano sem disco, do que gravar uma desgraça dessas. Da próxima vez, invente outra coisa pra ficar na mídia.

Melhor(es) música(s): NENHUMA
Pior(es) Música(s): TODAS
Nota: 0

domingo, 22 de novembro de 2009

Stupida - Alessandra Amoroso (2009)

A cantora, vencedora do programa Amici desse ano (uma espécie de Ídolos italiano), me foi apresentada pela Thay. Pois bem, de cara, gostei dela, mas sem cair de amores. Ouvi o primeiro single, "Stupida", e a princípio ele não me comoveu. Depois, ouvi o disco dela, um EP com 8 músicas, e achei um bom trabalho, bem realizado, embora não muito cativante. Isso até ouvi-lo pela segunda vez, que foi quando comecei a achá-lo interessante. A partir da terceira audição, já fiquei completamente viciada, ouvindo-o sem parar. A única música que não me agradou foi “È Ora di Te”. Todas as demais classifico entre boas e excelentes, com destaque para os singles "Stupida" e "Immobile", e para as minhas preferidas "Da Qui" e "X Ora X Un Po'”.
Todas as canções foram escritas para Alessandra, o que diferencia esse EP dos demais lançados pelos cantores oriundos do Amici, geralmente com regravações. Apenas “È Ora di Te” não é propriamente inédita por se tratar de uma versão. A voz de Alessandra também é digna de nota: suave, agradável, mas que consegue ser forte quando necessário. O saldo desse EP é extremamente positivo e acho que Senza Nuvole, o primeiro álbum completo da cantora, pode ser uma grata surpresa.


terça-feira, 17 de novembro de 2009

Valentina Giovagnini - L'amore non ha fine (2009)

Não sei porque eu demorei tanto tempo para escrever essa resenha. Bem, talvez eu saiba. É como um ponto final, como em tese, a maioria dos álbuns póstumos o são. E certamente por isso é tão complicado escrever sobre discos lançados após a morte do artista.
Já falamos aqui, mas para quem não sabe a jovem cantora Valentina Giovagnini morreu no dia 4 de janeiro de 2009 e o álbum "L'amore non ha fine" foi lançado em 5 de maio de 2009, e conta com trabalhos inéditos, não-inéditos e covers.
A música título do álbum é a primeira do cd. Logo na faixa de abertura já é possível notar um dos estilos mais marcantes da Valentina, a experimentação: nesse caso a mistura do erudito, com a participação do tenor Aldo Caputo, com o pop. Uma boa música, mas não uma das melhores do disco.
A segunda faixa é L'altra metà della luna e a voz da Valentina, mais aguda do que o normal, pode causar certo estranhamento na primeira audição. Cheguei até a pensar que a música tivesse sido gravada quando a cantora era adolescente, mas como não diz nada a respeito, imagino que tenha sido gravada em 2008, junto com as demais. A música, da metade para o final, melhora e fica até boa, mas nada de espetacular.
A terceira música é L'attesa infinita é de longe uma das melhores faixas do álbum. Para quem já conhece minimamente o trabalho da cantora pode-se dizer que é uma música bem no estilo Valentina, tanto na melodia quanto na letra. E é possível perceber nessa faixa também o quanto Valentina evolui vocalmente do seu primeiro álbum para este.
A faixa seguinte é Continuamente, outra ótima música. Porém com um diferencial da anterior, não tem o estilo da Valentina, ainda que a letra seja cheia de significado como, em geral, as letras cantadas pela Valentina o são. É um pop bem feito, que poderia ser cantado por qualquer outra cantora.
As faixas seis e sete são as músicas não-inéditas. Voglio quello che sento compõe o ábum de estreia da cantora: "Creatura nuda" e Non piango più foi lançada como single em 2003. A escolha desta última para integrar "L'amore non ha fine" se justifica pelo fato de ela não estar presente em nenhum álbum, mas de Voglio quello che sento, não. A não ser que essa fosse a preferida da Valentina. De qualquer forma, se o intuito era colocar uma música de "Creatura nuda" que não tinha sido single, outras escolhas mais adequadas poderias ter sido feitas como Metamorfosi, La formula ou Libera.
A oitava música é a ótima Bellissima idea, e novamente uma letra profunda que nos faz parar e pensar, e ao final ter a certeza de que ainda tem alguma parte que não compreendemos como deveríamos. Sensação que não é rara ao tentar entender as músicas da Valentina.
As faixas nove e dez são as também inéditas La mia natura e Non dimenticare mai. Ambas são boas faixas, mas não espetaculares. De qualquer forma, cabe ressaltar que o nível das músicas inédias deste álbum é superior ao de estreia.
Sonnambula é a penúltima inédita a compor o álbum e a única que não me agradou. Confesso que sempre pulo essa faixa quando escuto, acho-a tão chatinha. Mas conhecendo o trabalho da Valentina como conheço, sei que pode chegar o dia que eu escute a música e realmente a entenda e assim passe a gostar.
A última música inédita é Ogni viaggio che ho aspettato, a melhor música do álbum e, me atrevo a dizer, uma das melhores da Valentina junto com Senza origine e Il passo silenzioso della neve. Se você gostou dessas duas certamente vai adorar Ogni viaggio che ho aspettato, que assim como os primeiros singles da carreira da cantora tem fortes influências medievais. Se as demais músicas do álbum podem ser consideradas entre boas e ótimas, essa poderia ser definida como incrível.
Para mim o álbum poderia terminar aí que estava ótimo. Mas... foram incluídas duas covers: Hallelujah e Over the rainbow. Quando eu me pergunto o porquê dessa inclusão só me vem a mente o fato de ser um álbum póstumo e a família querer compartilhar essas gravações. Ainda acho uma decisão não acertada porque o nível de interpretação da Valentina nelas está muito abaixo do nível em que interpreta as sua próprias canções. Sem falar no inglês que deixa um pouco a desejar. E pensar que recentemente, no cd da Malika Ayane, elogiei a versão da cantora de descendência marroquina para a música Over the rainbow. Pena não poder elogiar também a versão da Valentina. Minha dica é: escute até Ogni viaggio che ho aspettato e termine a audição com chave de ouro.
A impressão geral do álbum póstumo da cantora é positiva, ainda que o álbum tenha seus altos e baixos. Indubitavelmente, um álbum apenas com as inéditas seria muito mais coeso. Porém, como já disse se trata de um álbum póstumo, e é justificável que a coerência entre as faixas possa ser deixada de lado para a realização de um álbum mais completo e com alguns "bônus" para os fãs.



O último trabalho da cantora de Arezzo é mágico e envolvente como todos os trabalhos dela foram desde que pisou no palco do Ariston em 2002. E o ponto final, infelizmente, fica com a sensação triste de que poderíamos ouvir muitas outras músicas mágicas como Ogni viaggio che ho aspettato, Il passo silenzioso della neve, Senza origine e Metamorfosi se tivéssemos a Vale por mais tempo entre nós.

Melhor(es) faixa(s): Ogni viaggio che ho aspettato; L'attesa infinita; Bellissima idea; Continuamente.
Pior(es) faixa(s): Sonnambula; Over the rainbow; Hallelujah
Nota: 7.5

sábado, 14 de novembro de 2009

Divulgando - Luciano Bruno

Recebemos um e-mail divulgando os shows do cantor Luciano Bruno no Brasil, como as colaboradoras estão com uma séria restrição de tempo ultimamente, apenas repassaremos o convite (é só clicar na imagem) para os leitores do blog.


Free Image Hosting at www.ImageShack.us

QuickPost

Ah, quem for no show depois conta pra gente como foi, ok?

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Piccoline #13

Elisa: A cantora sairá em turnê a partir de abril ao ano que vem (2010), nos shows além de músicas de "Heart", seu último trabalho, cantará os grandes sucessos da sua carreira. Nós nos perguntamos: Emma Cecile fica em casa ou sai em turnê com a mamãe? E outra coisa... Se tiver uma turnê mundial você bem que poderia dar uma chegada por essas terrinhas aqui, hein, Elisa?

Raf: "Soundview" é o título do mais recente trabalho do cantor, lançado no final de outubro. Trata-se de um CD + DVD gravados no show do dia 27 de fevereiro de 2009 no Forum de Assago, em Milão. O álbum comemora os 25 anos de carreira de Raf.

Gianna Nannini e Giorgia: Uma nova versão do álbum "Giannadream - Solo i sogni sono veri" será publicada e contará com um dueto inédito da cantora de Siena e da cantora de Roma, na música Salvami. Provavelmente, a parceria é fruto do Amiche per l'Abruzzo. E o DVD do show, será que algum dia sai?

Giorgia: A cantora romana está grávida de seis meses do seu companheiro, Emanuel Lo. Esperamos que a criança nasça com os dotes vocais da mãe.

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Dolcenera - Un dolce incantesimo

O terceiro single retirado do álbum "Dolcenera nel paese delle meraviglie" é Un dolce incantesimo. O clipe é bem feito, a música é boa, e Dolcenera está mais linda do que nunca. Por que será então que tudo me parece certinho demais? Aliás, essa foi a impressão que eu tive do álbum como um todo: músicas bonitas, bem arranjadas, Dolcenera vocalmente impecável - como sempre, mas parecia que faltava algo no álbum. Começo a achar que o elemento ausente é emoção. Posso ser do contra, mas gosto muito mais do look rocker e interpretações perfeitas como "Com'è straordinaria la vita" no Sanremo de 2006, "Sei bellissima" e "I will survive" no MusicFarm 2005.
Porém, há quem prefira a postura atual da Dolce. E nós respeitamos.
Assim, para os que gostam, desgostam ou não conhecem, deixamos o último clipe da cantora:


quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Piccoline #12

Laura Pausini: “Con la musica alla radio” é a primeira canção inédita do disco LauraLive. Não entendi o porquê de lançar um álbum ao vivo agora. Acho o San Siro tão recente...

Elisa: O novo disco da cantora, que se chamará Heart, será lançado em 13 de novembro. O primeiro single, “Ti Vorrei Sollevare”, com participação de Giuliano Sangiorgi, do “Negramaro” já está nas rádios.

Giusy Ferreri: O single “Il cielo è sempre più blu” antecipa o lançamento de “Fotografie”, segundo álbum completo da cantora siciliana, a ser lançado em 20 de novembro.

Francesco Renga: Finalmente o tão aguardado disco de Renga será lançado. O álbum se chamará “Orchestra e Voce” e trará o cantor interpretando canções do fim dos anos 60.

sábado, 17 de outubro de 2009

Dica do Leitor #4

A dica de hoje foi enviada pela leitora Anelise e diz respeito ao cantor Samuele Bersani.
Olá pessoal
Assim como vocês, eu também amo a música italiana e estou sempre a procura de novidades, foi até por isso que eu descobri vocês. Agora
minha sugestão ....
Não sei se vocês conhecem o Samuele Bersani. Se nunca tiveram o prazer de ouvir suas canções .... recomendo. O cara é inteligentíssimo, um verdadeiro poeta, um cronista social. Suas composições são repletas de poesia, sem espaço para "lugar-comum", clichês e falta de imaginação. Recomendo: Giudizi universali, Cattiva, Lascia stare, Lo scrutatore non votante, Sicuro Precariato. Esta é uma sugestão que faço ao blog, devido à qualidade deste artista e se houver interesse de vocês dividi-la com os demais visitantes/seguidores do blog.

Para quem se empolgou com a recomendação da Anelise, segue o clipe de Cattiva, do Samuele Bersani. Lembrando que as sugestões para a seção Dica do leitor só são analisadas se enviadas para o e-mail.


sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Studio 3: Non deve mancare


O último álbum lançado pela boy band italiana foi uma coletânea dos seus maiores sucessos e duas inéditas: Sto quasi bene e Non deve mancare. A primeira, como já falamos aqui, participou da competição paralela do Festival di Sanremo desse ano e ficou em segundo lugar. A segunda é o atual single do grupo. As duas inéditas, se comparadas aos outros sucessos da banda, são inferiores. Especialmente Non deve mancare, que começa lembrando outras músicas do Studio 3 como Lentamente ou Amore incontenibile, mas descamba e a "boy band italiana" acaba a música em um estilo bem Finley. A música não é ruim, apenas estranha. Além do fato de a transição do pop para o rock não ser muito natural. Enfim, só se pode dizer que o Studio 3 já teve singles bem melhores.

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Tradução: Sonohra, Salvami

Quassù il cielo è mio
Aqui em cima o céu é meu

mi vedo l'anima, io volo......
vejo a minha alma, eu voo ...

Guardami! Sentimi! Sono qui, toccami!
Olhe-me! Sinta-me! Estou aqui, toque-me!

Sento il freddo dell'asfalto, salvami!... Salvami!
Sinto o frio do asfalto, salve-me! Salve-me!

Parlami! Ascoltami! Sono qui, Aspettami!
Fale-me! Escute-me! Estou aqui, espere-me!

Pioggia e neve sulle ali, salvami!
Chuva e neve sobre as asas, salve-me!

Lassù ci sono anch'io
Lá no alto eu também estou

mi vedi l'anima, io volo.......
veja a minha alma, eu voo...

Guardami! Sentimi! Sono qui, toccami!
Olhe-me! Sinta-me! Estou aqui, toque-me!

Sento il freddo dell'asfalto, salvami!... Salvami!
Sinto o frio do asfalto, salve-me! Salve-me!

Parlami! Ascoltami! Sono qui, Aspettami!
Fale-me! Escute-me! Estou aqui, espere-me!

Pioggia e neve sulle ali, salvami!... Salvami!
Chuva e neve sobre as asas, salve-me!

Guardami! Sentimi! Sono qui, toccami!
Olhe-me! Sinta-me! Estou aqui, toque-me!

Sento il freddo dell'asfalto, salvami!... Salvami!
Sinto o frio do asfalto, salve-me! Salve-me!

Parlami! Ascoltami! Sono qui, Aspettami!
Fale-me! Escute-me! Estou aqui, espere-me!

Pioggia e neve sulle ali, salvami!...
Chuva e neve sobre as asas, salve-me!

Salvami!....
Salve-me...

Tradução: Thay
Revisão: Bruna

domingo, 11 de outubro de 2009

Piccoline #11

Carmen Consoli: Depois de três anos, a cantora siciliana lançará um novo álbum. A Carmen divide opiniões, geralmente ou as pessoas adoram ou detestam a voz peculiar da cantora. Eu adoro. A Bru não. Só espero que esse álbum seja tão bom quanto o último, "Eva contro Eva." O single Non molto lontana da qui precede o lançamento do álbum e começou a tocar nas rádios italianas no dia 9 de outubro. O álbum, intitulado "Elettra", é previsto para estar à venda no final de outubro.

Marco Carta: Resto dell'idea é o terceiro single do álbum "La forza mia." Os singles anteriores foram a simpática Dentro ad ogni brivido e a vencedora sanremese La forza mia.

Mina: Também álbum novo da Mina em breve: "Facile". E também será lançado há três anos de distância do seu precedente.

Neffa: Depois da ótima Lontano dal tuo sole, o segundo single retirado do álbum "Sognando contromano" é Nessuno. É uma boa escolha, mas o álbum tem outras boas músicas como Distante, que espero também seja single.

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Dica do Leitor #3

Antes de começarmos a Dica do Leitor #3, propriamente dita, gostaríamos de deixar um aviso : As próximas sugestões para a seção Dica do Leitor só serão aceitas se enviadas para o e-mail do blog: mscitaliana@gmail.com. Dessa forma, os comentários ficam apenas para opiniões, sugestões, críticas do(s) cantor(es) mencionados no post em questão, ok?

Agora sim...

A Kiah Chan (que nós, colaboradoras do Blog, conhecemos também como Ju) pediu para que falássemos mais sobre o Virginio. Bom resumidamente, Virginio Nerò, nasceu em Fondi (Latina) no ano de 1985, e ficou conhecido ao participar do Festival di Sanremo na categoria jovem no ano de 2006, com a música Davvero, que como a Ju mesmo disse é a mais famosa do cantor. No mesmo ano, Virginio lançou seu primeiro, e até agora único, álbum: Virginio, pela Universal Music.
Sobre as novidades, no site oficial do cantor a última notícia é de 2007, mas o myspace e o blog do cantor estão mais atualizados. As últimas notícias divulgadas são que o cantor está trabalhando em novas músicas. Assim que soubermos de algo novo, divulgaremos. Enquanto isso, compartilhamos o clipe Davvero para quem ainda não conhece o trabalho do Virginio.

sábado, 26 de setembro de 2009

Spirito Libero - Viaggi di Voce 1992-2008 - Giorgia (2008)

A Giorgia abriu a série de layouts do blog, quando ainda estávamos hospedados no Blogger. Depois, publicamos a biografia da cantora, e agora vamos falar do último lançamento dela, a coletânea Spirito Libero - Viaggi di Voce 1992-2008. São três discos, numa espécie de “best of”, que percorrem toda a carreira da cantora e trazem ainda quatro músicas inéditas e algumas regravações. Como eu não conhecia muita coisa da Giorgia, o disco é praticamente todo inédito para mim.
Aliás, ela é a cantora que gravou Vivo Per Lei com o Andrea Bocelli. Várias pessoas já vieram falar comigo que adoraram o dueto do Bocelli com a Pausini nessa música... Agora já sabem, não é? Quem gravou essa música com o Andrea foi a Giorgia, não a Laura! O dueto com Laura só saiu ano passado, e se chama Dare to Live, muito bom, por sinal, embora eu prefira o dueto original, com Gerardina Trovato. O original tem mais peso, é mais dramático. E olha que eu sou fã da Laura.
Voltando ao disco da Giorgia, cada um dos três cds recebeu um nome. O primeiro se chama “Per Abbracciarsi” e é o que traz as músicas mais lentas e, particularmente, é o meu preferido. Esse disco traz “Gocce di Memoria”, “Di Sole e D’Azzurro” e “E poi”, músicas que fizeram muito sucesso, e que eu já conhecia, além de “Come Saprei”, canção vencedora do Festival de Sanremo do ano de 95.
A inédita desse primeiro cd é “Per fare a meno di te”. Gostei bastante dessa, começa com um pianinho que lembra o som das caixinhas de música. Uma música muito boa, sem dúvida, e com excelentes vocais, como é o costume de Giorgia.
Dentre as músicas que eu ainda não conhecia, acabei me encantando por “Riguarda Noi” e “Dimmi Dove Sei”. Entretanto, foi “Marzo” a que mais me emocionou. Eu não sabia, mas essa canção foi dedicada ao Alex Baroni, namorado da Giorgia, morto em 2002, conforme a Thay contou na Biografia da cantora.
Passemos ao segundo cd, “Per liberarsi” , que vem com músicas mais puxadas para o soul, começando com a inédita, “Via Col Vento”, que me agradou bastante. Já a regravação de “La Gatta (Sul Tetto)” ficou sem sentido. Não entendi o porquê de regravar uma música deixando-a quase igual à versão original. Na regravação de “Girasole” dá pra notar claramente a diferença nos vocais, o que a deixou mais suave, porém sem perder o encanto. “Vivi Davvero” permaneceu intocada, graças a Deus, já que é excelente!
Dentre as que eu desconhecia, amei “Un Amore da Favola”, originalmente do disco “Mangio Troppa Cioccolata”. Aliás, PRE-CI-SO desse disco. A impressão que tenho é de que vou amá-lo! Já “Nessun Dolore”, uma música de 1993 que recebeu nova roupagem e novos vocais não me agradou. Não sei como era antes, mas a versão repaginada não caiu no meu gosto. Outra música que odiei foi “Mal di Terra”, retirada do álbum “Stonata”. Chatinha, cansativa, sabe? Depois do primeiro minuto, já me deu vontade de passar logo para a próxima. Já “È la Verità”, do disco “Girasole” é totalmente o contrário: uma batidinha alegre, empolgante! Gostei muito! “Spirito Libero”, que dá nome à coletânea, fecha o disco. É uma boa música, dançante, com uma letra que se rebela contra os padrões.
No terceiro cd, “Per (r)incontrarsi”, temos alguns duetos, alguns covers e duas inéditas. Foi o disco que eu menos gostei. O dueto com Mina é chato e soa extremamente artificial. O com Pino Daniele é só bonzinho, já no limite para ser ruim, mais nada. O cover de “I Heard Through The Grapevine” é bom porque a Giorgia realmente canta bem, mas também não me comoveu. O dueto com Ronan Keating é a regravação de “We’ve Got Tonigh”, uma música bonita, mas já regravada à exaustão, inclusive com versão em português. “(You Make Me Feel) A Natural Woman”, ao vivo com o grupo de seu pai, o “Io Vorrei La Pelle Nera” ficou bastante bonita também.Mas ao terminar a audição desse terceiro cd, o que me dá vontade de fazer é descartá-lo quase por completo sem pena alguma, encaixando nos outros dois cds apenas as inéditas (e ótimas) “Farei di Tutto” e “Lacrime Amare”, além de “Il Mare Sconosciuto”, do disco “Senza Ali”. Até entendo que esse cd é importante para Giorgia por marcar as diversas parcerias e colaborações que ocorreram ao longo da carreira, mas continuo por achá-lo dispensável. Na minha opinião, apenas os fãs, e mesmo nesse caso somente a título de curiosidade, gostarão desse cd. Se você não é fã, fique com os dois primeiros. É neles que está a verdadeira Giorgia.

Melhor(es) música(s):
Marzo, e as inéditas Per fare a meno di te e Via col vento
Pior(es) música(s): Mal di Terra e Poche Parole
Nota: 7.5

Veja o clipe de Per fare a meno di te
Veja o clipe de Vivi Davvero

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Piccoline #10

Gianna Nannini: Depois das ótimas músicas Attimo e Maledetto ciao, Sogno é o terceiro single retirado do álbum "Giannadream - Solo i sogno sono veri".

Irene Grandi: Boas novas para os fãs da cantora. Ela está trabalhando no próximo álbum que deve sair no início do ano que vem. E como o álbum ficará pronto em um período próximo do Festival di Sanremo, a cantora não descarta a possibilidade de participar da 60ª edição do Festival, já que a sua última foi em 2000, ou seja, o período entre uma apresentação seria de dez anos. Ótimo, não?

Laura Pausini: Depois de "Primavera in Anticipo", Laura lançará um cd+dvd com as performances mais emocionantes da Turnê Mundial de 2009. Serão incluídas no cd três inéditas: Con la musica alla radio, Non sono lei e Casomai. A primeira das três canções será o single que antecipará o cd e estará tocando nas rádios a partir de 25 de setembro.
Tiziano Ferro: O quarto single retirado do álbum "Alla mia età" é Il sole esiste per tutti, e já está tocando nas rádios italianas desde 11 de setembro. Esperamos que tenha um clipe melhor que o anterior...

Zero Assoluto: Depois de Per dimenticare, Cos'è normale é o novo single da dupla.

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Sonohra: Love show (2009)

O disco "Liberi da sempre", versão lançada na Itália, quando os meninos do Sonohra participaram do Sanremo em 2008, eu já tinha escutado há algum tempo. Porém, ao ver a versão "brasileira" do álbum ao alcance das minhas mãos, não resisti e comprei na minha última visita ao shopping. Não significa que eu adore os irmãos Fainello, mas também não desgosto. Apenas simpatizo.
"Love show", a versão do álbum de estreia da dupla lançada no Brasil, tem a faixa de mesmo nome como música de abertura. Acho que uma boa definição da principal música de trabalho do Sonohra é "adequada": letra romântica e não muito profunda, melodia agradável (em especial para os mais jovens), Luca e Diego afinados como sempre e um bom inglês. E pronto.
A faixa seguinte é Free to be, versão em inglês de Liberi da sempre. Canção mediana, mas também adequada. Vale destacar que as adaptações para a língua inglesa foram muito bem feitas. A terceira faixa é Love's here, também uma adaptação para inglês, dessa vez de L'amore, que é provavelmente a música mais famosa do Sonohra. Outro ponto a ressaltar é que certamente a palavra mais utilizada neste disco foi "love", ou, nas músicas com o idioma do país da bota, "amore". Definitivamente, não se pode dizer que os meninos Fainello são insensíveis.

A faixa número quatro é Cinquemila mini mani, a primeira do álbum em italiano. A música é umas das poucas agitadinhas, e é a mais adolescente também. Mas isso não é de todo ruim, pode até ser considerada boa se você a escutar sem dar muita atenção para a letra.
Io e te é a que considero como a melhor faixa do disco: uma boa letra (e muito fofa, vou ser sincera) em uma boa melodia. Já disse que os meninos do Sonohra são afinados, não? English dance, uma das mais famosas do duo, vem neste álbum como a sexta faixa. É, junto com Cinquemila mini mani, uma das mais animadas. Ainda que o título dê impressão diferente, a música é em italiano. É um pop bem pop, e talvez por ser alegre, se destaque.
Salvami foi a música que me dá esperanças de que Luca e Diego, com uma dose maior de liberdade nas suas composições, podem realmente surpreender. Esta faixa tem uma letra com menos de 90 palavras ao longo de uma música de quase seis minutos (5:56, para ser mais exata). É, indubitavelmente, a mais ousada e tocante do cd, além de ser a mais adulta. Digo isso no sentido de maturidade, que fique claro. E pelo que eu li é a música preferida dos irmãos Fainello no álbum. O que me dá ainda mais esperanças. Who am I é outra que está entre as minhas preferidas. Um rock bem feito e um pouco diferente do resto do cd. Pode ser que tenha quem escute e não reconheça como uma música do Sonohra. In my imagination é a versão em inglês de Io e te. Boa também, mas achei que em italiano a música ficou mais bonita.
Até então eu tinha gostado de todas as músicas, umas mais outras menos, mas... até So la donna che sei, a décima faixa. Eu não gostei da música, que sim pode ser considerada a única sensual do álbum, primeiro porque não gostei da letra e não por ser um pouco quente, mas por simplesmente não dizer nada. E, o que considero mais crucial, a música não combinou com os meninos. Achei meio contraditório depois de repetir por várias vezes "amor" ao longo das músicas anteriores, a mais sensual ser tão desprovida de sentimento. Enfim, poderia ter sido colocada outra em italiano de "Liberi da sempre" no lugar de So la donna che sei sem problema algum.
I believe tinha tudo para ser a melhor faixa do cd se não fosse exatamente o "I believe". Eu não consigo entender, o porque você usar o "I believe" numa música que é toda em italiano se na sua língua têm palavras que podem dizer a mesma coisa? Ok, essa é uma mania de alguns cantores italianos, em especial o Zucchero, mas até a Laura Pausini já colocou palavras em inglês em músicas em italiano. Eu acho desnecessário, por isso I believe perdeu metade do encanto, porém, ainda assim, é uma boa música. Só que não muito original, apenas como exemplo cito "Credo" do Nek. As faixas que fecham o álbum são as faixas bônus L'amore e Love show, ambas em italiano.
Love show, o álbum, é muito bem produzido e muito bem interpretado. Não se pode dizer, em momento algum, que Luca e Diego Fainello não saibam cantar. Eles fazem bem o seu trabalho e como disco de estreia Love Show/Liberi da Sempre foi um ótimo começo. É claro, porém, que eles agradam muito mais o público infanto-juvenil. Esse é o perfil deles. No entanto, acredito que nos próximos álbuns os irmãos de Verona possam mostrar todo o seu talento. Mas como o assunto é este álbum e não os próximos, recomendo que quem gostou, se possível, compre o álbum do Sonohra. Desde Tiziano Ferro, na época de "Imbranato", um novo artista italiano não vinha ao Brasil mostrar o seu trabalho e divulgar uma versão de seu álbum feita especialmente para o mercado brasileiro. Espero que o Sonohra tenha sido apenas o primeiro de muitos outros jovens e talentosos artistas italianos de uma nova fase da música italiana no Brasil.

Melhor(es) música(s): Io e te, Salvami, Who am I.
Pior(es) música(s): So la donna che sei
Nota: 7.5

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Qual deve ser a próxima tradução?

A nova enquete para que os leitores decidam qual deve ser a próxima tradução já está disponível!
É possível votar em: dARI, Finley, Gemelli Diversi, L'aura, Nek, Sonohra, Studio 3, Tiziano Ferro e Valentina Giovagnini.
Você tem duas semanas para votar!

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Dica do Leitor #2

Recebemos do leitor Ian um simpático pedido para falar um pouco mais da L'aura, que ele considera a sua melhor descoberta da música italiana. Já falamos em posts anteriores da cantora de Brescia, mas para quem por um acaso não viu, reitero que essa L'aura não é a Pausini e nem a Bono. É simplesmente: L'aura. Ou, como ela mesma gosta que digam, "L-apóstrofo-aura". Mas para quem ficou curioso sobre o nome de batismo dessa Laura, é "Laura Abela".
A L'aura tem uma ótima voz e letras bonitas e não superficiais. Recentemente, seus trabalhos têm tido mais influência do rock, o que pode ser visto também em das suas parcerias musicais mais recentes: Vuoi vedere che ti amo com Gianluca Grignani.
Essa jovem cantora de 24 anos já lançou três cds e participou duas vezes do Festival di Sanremo, sendo uma vez na categoria "Nuove Proposte" e outra na "Big". Dos cds lançados por ela, Okumuki (2005), Demian (2007) e L'aura (2008), recomendamos o primeiro. O próximo álbum da cantora deve sair no início de 2010, e esperamos ansiosamente.
Por ora, deixamos o clipe de Nell'aria para quem quiser conhecer mais da cantora.

domingo, 13 de setembro de 2009

Piccoline #9

Eros Ramazzotti: O segundo single retirado do álbum "Ali e Radici", cuja resenha você pode ler aqui, é Controvento. A música está nas rádios italianas desde o início desse mês.

Marina Rei: Também é segundo single retirado de um álbum de inéditas, a canção Sorrido, extraída do disco "Musa", de Marina Rei. A cantora define essa música como sendo romântica, mas na realidade é melancólica e fala de como as mulheres sabem sair de situações difíceis.

Noemi - Fiorella Mannoia: Antecipando o álbum que será lançado no mês que vem, Noemi apresenta a música L'amore si odia, um dueto com Fiorella Mannoia. Será que idealizaram o dueto nos bastidores do Amiche per l'Abruzzo?

Francesco Renga: Os leitores mais antigos devem estar lembrados o post "Renga: do Sanremo para o Mundo", quando falamos do próximo álbum do Francesco Renga, então previsto para ser lançado em maio. Os meses passaram e o álbum não foi lançado e nem maiores informações foram dadas. Agora, finalmente, o álbum tem data definida de lançamento: 13 de novembro de 2009. O atraso é justificado por causa da seleção das canções que compõem o disco que são grandes sucessos da música italiana. Assim, se você está esperando um álbum de inéditas... ainda não é dessa vez.

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Lista #1 - Música jovem italiana

Geralmente quando se fala em Música Italiana, logo vem à mente ou uma tarantela ou uma ópera. É tão natural quanto pensarem que no Brasil só existe samba... Quem conhece minimamente a música do país da bota sabe que a verdadeira Música Italiana vai muito além desses dois estilos, mas como esses são os mais famosos internacionalmente são os mais facilmente lembrados. Tanto que pode haver quem pense que não "música jovem" na Itália e que os jovens escutem apenas ópera. Para esses nós diremos: não é bem assim.
Tanto que a mais nova seção do blog, "Listas", vai estreiar relacionando 5 artistas que fazem músicas para os jovens e que nós gostaríamos de apresentar aos nossos leitores. Então, vamos lá!

1. Gemelli Diversi
Os "meninos" do Gemelli DiVersi (ou GdV) já não são tão meninos assim. Mas mesmo já estando bem perto de serem quarentões continuam fazendo as garotas (e não tão garotas) suspirarem e ter a simpatia também dos garotos por cantarem para os jovens.
O grupo de hip hop é formado por dois rappers (Thema e Grido), um cantor (Strano) e um DJ (THG) e já possui mais de 10 anos de carreira, sem nunca ter mudado de formação. Possuem músicas com letras românticas (Tu no, Un'altro ballo), sendo algumas até mesmo ingênuas, outras engraçadas (Quella cosa, Whisky e Margarita) e outras com críticas sociais (Mary, Vivi per un miracolo). Participaram do último Festival di San Remo com a música "Vivi per un miracolo" e o último cd lançado foi a compilação dos maiores sucessos "Senza fine - 98-09", cuja resenha você pode ler aqui. O atual single é "Nessuno è perfetto". Das várias músicas lançadas pelo grupo, destacamos: Mary, Tu corri..., Icaro e Un'altro ballo.

2. Sonohra

Sonohra, que também já se chamou "Prince of Galles", "2ttO" e "Domino", é uma dupla italiana formada pelos irmãos Luca e Diego Fainello. Ganharam destaque na Itália após vencerem o Festival di Sanremo do ano passado na categoria "Nuove Proposte" com a música "L'amore". O primeiro, e até o momento único, álbum da dupla pop intitulado "Liberi da sempre", ("Love show", na versão internacional) na sua versão original possui músicas em inglês e italiano. Na versão lançada nos países da América Latina de língua espanhola, o álbum foi lançado com a inclusão de versões de músicas em espanhol. Os irmãos cantores já estiveram no Brasil para divulgar o seu trabalho, tendo até mesmo um hotsite em português: www.sonohra.com.br. Dois domingos atrás (30/08/2009), participaram do Programa Domingo Legal cantando Love Show (principal música de trabalho) e Love's here (versão em inglês de "L'amore). Os vídeos da apresentação poder ser vistos aqui, aqui, aqui e aqui. Do Sonohra, recomendamos: L'amore e Salvami.

3. Studio 3
O Studio 3, desde o seu lançamento, há 4 anos, se intitula a "boy band italiana". E esta é, sem dúvida, a definição mais adequada para o grupo formado por Vetro, Marco Venturini e Gabriel (que entra a partir do segundo álbum, subtituindo Gino). Os meninos, que assim como o GdV também arrancam suspiros das meninas, já lançaram 4 álbuns, sendo o último um "The best of", contendo, além dos principais sucessos do grupo, duas canções inéditas: Non deve mancare e Sto quasi bene. Sto quasi bene concorreu na competição alternativa do Festival di Sanremo deste ano, em que a votação era pela internet. Depois de liderarem por boa parte, no dia anterior ao término da votação foram ultrapassados por "Ania" com a sua "Buongiorno, gente" e conseguiram apenas o segundo lugar. As músicas são boas, mas nada de muito espetacular se compararmos com outras boy bands, e os meninos são afinados, como, em tese, são todos os integrantes de grupos dessa natureza. Talvez o destaque do grupo seja Marco Venturini e a sua voz rouca, bem à italiana. Como destaque do Studio 3, apontamos: Solo te, Lentamente, Amore incontenibile e Forse un angelo.


4. Finley
Finley é uma banda de pop punk. Tem como integrantes Pedro, Dani, Ka e Ste, que estão desde a formação original em 2003. O primeiro álbum da banda, "Tutto è possibile" foi lançado em 2006, o qual foi precedido por "Adrenalina" (2007) e "Adrenalina 2" (2008). Participaram do Festival di Sanremo de 2008, onde conseguiram a surpreendente 6ª colocação com a música "Ricordi". Do grupo, destacamos Tutto è possibile, Diventerai una Star e Sole di settembre, todas do disco de estreia.



5. dARI
Assim, como o Finley (aliás são bem semelhantes a eles), dARI é uma banda de pop. Surgiu inicialmente como um projeto solo do guitarrista e vocalista da banda Dario Pirovano (Dari). A atual formação do grupo conta com Fab, Cadio e Fasa. Lançaram um álbum (2008), um EP (2009), um livro com a biografia oficial (2009) e seis singles. Ainda que definam o som que produzem como ao estilo "Emotronik" (eletrônica emocional), talvez seja mais acertado defini-los como algo entre o emo e o punk. Outro ponto a se destacar é que o visual da banda lembra o do adotado pelo Tokio Hotel. O maior sucesso da banda é Wale, mas recomendamos Non pensavo, em especial a versão com Max Pezzali.

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Tiziano Ferro: Indietro

O último clipe lançado pelo cantor Tiziano Ferro, referente a sua canção Indietro, me desagradou muitíssimo. Mas como não sabia explicar direito a causa do desagrado, deixei de comentar... Hoje durante um debate sobre cultura na universidade, em especial sobre a indústria da cultura, acredito ter finalmente conseguido entender o que me levou a desgostar do clipe de Indietro: não condiz com a cultura que eu me acostumei a associar a cultura italiana. O vídeo, para quem não viu, parece ser formado por cenas retiradas de um filme de espionagem, algo bem James Bond mesmo: carrão esportivo, helicóptero, mulher sexy, jóias, bebidas, etc. Ou seja, algo bem importado, retratando o estilo americano de viver. Devo ressaltar que não tenho nada contra os Estados Unidos da América. Mas quando busco um entretenimento na música italiana, seja ela rock ou hip hop, pop ou erudita, espero que ela tenha os traços que me agradam da cultura italiana. Enfim, o clipe não me agradou, mas acredito que tenha agradado os fãs do Tiziano, categoria à qual já pertenci um dia. Talvez o fato de existir uma versão em inglês da música, com o featuring da Kelly Rowland, explique o porquê do clipe parecer tão enlatado. Ainda assim, não me agrada. Porém, deixando o vídeo de lado, a música é boa, bem no estilo TzN e o cantor de Latina continua com uma voz impecável.
Quem ainda não viu o clipe, clique aqui e tire as suas próprias conclusões.

terça-feira, 25 de agosto de 2009

Piccoline #8

Alessandra Amoroso: O segundo álbum da cantora será lançado no dia 25 de setembro e já tem título definido: "Senza nuvole". O primeiro single retirado do álbum, Estranei a partire da ieri, precederá o lançamento do disco, e já tocará nas rádios a partir de 28 de agosto. O novo trabalho será um álbum de inéditas e terá uma versão cd+dvd, com imagens exclusivas da cantora durante a gravação das novas faixas. "Stupida", o primeiro cd da atual vencedora do Amici, vendeu 200 mil cópias e conquistou o disco duplo de platina.

Gianluca Grignani: No dia 13 de agosto, o cantor desmaiou em um show que realizava na cidade de Viggianello (Potenza) para cerca de 2 mil pessoas. Grignani foi socorrido pela Cruz Vermelha que estava presente no local do show. Segundo os presentes, o cantor, antes do mal estar, desafinou e cantou apenas parte das canções. A assessoria do cantor declarou que o desmaio foi causado devido a um forte estresse de trabalho.

Gianni Morandi: Novo single ainda nessa semana: Grazie a tutti. A letra é de Federica Camba, Daniele Coro e do próprio Morandi, o arranjo, por sua vez, é de Dado Parisini. O álbum "Grazie a tutti, il concerto" tem lançamento previsto para o final do próximo mês. Será o primeiro dvd live da carreira do cantor, que, estima-se, vendeu mais de 30 milhões de discos.

Gigi D'Alessio: Também no dia 28 chega às rádios o novo single do cantor napolitano: Non riattaccare, que também é retirado do próximo álbum do cantor, "6 come sei". O disco estará à venda a partir de 18 de setembro. O álbum (miniálbum) será composto por 6 faixas, o que vem sendo adotado por alguns cantores na Itália. Entretanto, é mais recorrente para cantores que estão debutando e não consagrados como D'Alessio. O álbum será publicado com o selo do cantor, GGD Productions, e distribuído pela Sony Music. Só a título de informação, nos últimos 11 anos Gigi D'Alessio lançou 12 álbuns apenas em italiano, sendo desses dois discos duplos (2003 e 2005) e um quádruplo (2007). E de 1998 até 2009, não teve um ano em que o cantor não tenha publicado pelo menos um álbum.

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Valentina Giovagnini

No Festival della Canzone Italiana de San Remo do ano de 2002, a Itália foi apresentada a uma jovem cantora da província de Arezzo que defendia uma música de título longo e fortes influências célticas. A canção era Il passo silenzioso della neve, escrita por Vincenzo Incenzo e Davide Pinelli, e a cantora era Valentina Giovagnini, que concorria na categoria Giovani, atual "Nuove proposte". A interpretação surpreendeu positivamente os espectadores do Festival: a canção foi eleita como o melhor arranjo daquela edição do festival e ficou em segundo lugar na categoria em que disputava, perdendo para Doppiamente fragili, interpretada por Anna Tatangelo, em um dos mais contestáveis resultado do San Remo.

A carreira musical da cantora originária de Pozzo della Chiana começou cedo, com aulas de canto e piano, e continuou quando a cantora começou a frequentar a faculdade de Letras com ênfase em Música e Espetáculo, onde aprofundou os seus estudos da cultura medieval e da música céltica.
Com apenas 18 anos, a cantora começou a participar de concursos musicais na sua região e posteriormente em outras regiões da Itália.
Em 1997, em um dos espetáculos que participou, foi notada por Davide Pinelli, o que deu início a uma longa colaboração artística.
No ano de 2001, lançou o seu primeiro single Dovevo dire di no, que abriu as portas para a sua participação no Festival de Sanremo de 2002.

Simultaneamente à participação no Festival, Valentina Giovagnini publicou o seu primeiro álbum: "Creatura nuda", que além da música apresentada no Festival, possuía outras dez faixas. O segundo single retirado deste álbum foi a ótima Senza origine, com a qual Valentina participou do Festivalbar do mesmo ano. Tanto Il passo silenzioso della neve quanto Senza origine evidenciavam que o destaque das músicas da cantora de Arezzo era a originalidade dos arranjos. Algumas canções do seu disco de estreia mesclavam elementos da música medieval com sons eletrônicos. Na sua primeira turnê italiana, ainda no ano de 2002, foram utilizados nas apresentações instrumentos como gaitas-de-fole, flautas, harpas e violas de roda, buscando recriar ao vivo a atmosfera do álbum.
Nos meses seguintes, Valetina Giovagnini foi indicada para o Italian Music Awards na categoria de "Melhor artista emergente" e para o "Premio Titano - Festival di San Marino" na categoria "Melhor artista feminina do ano".
Em 30 de maio 2003, foi lançado o seu terceiro single: "Non piango più", uma música inédita e que seria o seu último trabalho lançado em vida.
Valentina realiza turnês pela Itália nos anos de 2004 e 2005.
Em 2008, a cantora se torna responsável pelo ensino de canto para as crianças na "Scuola comunale di canto di Cortona".
No dia 2 de janeiro de 2009, a cantora foi internada no hospital Le Scotte di Siena em estado grave, decorrente de um acidente automobilístico sofrido na região entre Pozzo della Chiana e Foiano della Chiana. Na noite do mesmo dia, Valentina morre no hospital de Siena, apesar de uma desesperada intervenção cirúrgica dos médicos. O funeral, no qual participaram mais de 2 mil pessoas, foi realizado na igreja paroquial de Pozzo della Chiana.
No dia 15 de maio de 2009 é lançado, póstumo, o segundo álbum de Valentina Giovagnini: "L'amore non ha fine". O álbum é composto por 12 faixas, sendo 10 inéditas, e mais duas ghost tracks.



terça-feira, 18 de agosto de 2009

Dueto: Nek e Laura Pausini - Sei solo tu

Como já disse a Bruna, a outra colaboradora do blog, "eles já não se falam, mas a música é boa". Não pretendo entrar nos detalhes do fim da amizade do Nek e da Laura Pausini, até porque somente eles devem saber o motivo exato do fim de um relacionamento como o deles. A intenção aqui é divulgar esse belo dueto.
A canção "Sei solo tu", escrita por Cheope, compõe o álbum "Le cose da difendere" (2002), sétimo disco em língua italiana lançado pelo cantor. A participação da Laura Pausini se inicia após o 30º segundo do 2º minuto da música. O single ficou entre os mais vendidos da Itália por 21 semanas consecutivas.

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Tradução: Come se no fosse stato mai amore, Laura Pausini

Ieri ho capito che
Ontem eu entendi que
È da oggi che comincio senza te
É a partir de hoje que começo sem você
E tu.. l'aria assente
E você... o ar ausente
Quasi come se io fossi trasparente
Quase como se eu fosse transparente
E vorrei fuggire via
E eu queria fugir
e nascondermi da tutto questo
E me esconder de tudo isso

Ma resto immobile qui
Mas fico aqui imóvel
Senza parlare..non ci riesco a staccarmi da te
Sem falar... Não consigo me separar de você
E cancellare tutte le pagine con la tua immagine
E apagar todas as páginas com a sua imagem
E vivere..
E viver...
Come se non fosse stato mai amore
como se nunca tivesse sido amor

Io sopravviverò
Eu sobreviverei
Adesso ancora come non lo so
Como eu ainda não sei
Il tempo qualche volta può aiutare
às vezes o tempo pode ajudar
A sentirsi meno male..
A se sentir menos mal...
A poter dimenticare
A conseguir esquecer
ma adesso è troppo presto
Mas agora é muito cedo

E resto immobile qui
E fico aqui imóvel
Senza parlare.. non ci riesco a stancarmi di te
Sem falar... não consigo me separar de você
E cancellare tutte le pagine con la tua immagine
E apagar todas as páginas com a sua imagem
E vivere.. come se non fosse stato mai amore
E viver... como se nunca tivesse sido amor

.. Come se non fosse stato amore
... Como se não tivesse sido amor
come se non fosse stato mai..
Como se nunca tivesse sido...
.. e vorrei fuggire via, vorrei nascondermi
... e fugir, queria me esconder
Itálico
Ma resto ancora così, senza parlare, senza dirti "non te ne andare"
Mas ainda fico assim, sem falar, sem te dizer “não vá embora”
Non mi lasciare tra queste pagine..
Não me deixe entre essas páginas...

.. e poi, e poi, e poi vivere
... e depois, e depois, e depois viver
come se non fosse stato mai amore
Como se nunca tivesse sido amor

.. come se non fosse stato amore
... como se nunca tivesse sido amor.

Tradução: Bruna
Revisão: Thay

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Próxima tradução: Come se non fosse stato mai amore

Com 35% dos votos, a próxima tradução do blog Música Italiana será: Come se non fosse stato mai amore da Laura Pausini.

Aproveitamos para divulgar o nosso twitter: @musica_italiana !

Até breve!

segunda-feira, 27 de julho de 2009

Piccoline #7

Malika Ayane: O novo single da cantora é Controvento. Este é o quarto single retirado do álbum "Malika Ayane", sucedendo Soul waver/Sospesa, Feeling better e Come foglie. A resenha do álbum Malika Ayane pode ser lida aqui.

Giorgia: Depois do fraco álbum "Stonata", lançado em 2007, a cantora romana, já no ano seguinte, lançou o álbum triplo "Spirito libero - Viaggi di voce 1992-2008" com seus maiores sucessos e mais um dvd contendo clipes e algumas apresentações. E o seu novo single, a ótima Via col vento, foi retirado do seu último trabalho. A música mostra que a cantora romana sabe interpretar como poucas, e que "Stonata" foi realmente só um "lapso".

Alex Britti: O cantor lançará novo álbum para o próximo outono italiano. Precendendo a publicação do álbum, será divulgado o primeiro do single: Piove.

quarta-feira, 22 de julho de 2009

Ali e Radici - Eros Ramazzotti (2009)

Confesso que não estava tão ansiosa por um cd novo do Eros. O último que comprei foi o "9", de 2004. O seguinte, "Calma Apparente", sequer cheguei a ouvir. Mas com o lançamento do single "Parla Con Me", me interessei pelo "Ali e Radici".
"Appunti e Note" abre o cd! Muito boa, intensa! Eros comenta canção por canção em seu site. Esta ele diz que é sobre ser autor, sobre "a busca contínua da frase que ainda não foi escrita". Achei essa frase mais bonita que a música!! Juro!
Em seguida, "Il Cammino". Essa eu amei com toda a força! Uma música simples, com letra plena de otimismo. Eros conta que se inspirou em Pablo Neruda para escrever a canção. Não consigo ouvir sem cantar o refrão! Lembrou-me um pouco “Piccola Pietra”, do álbum “9", que eu amo.
A terceira música é o single "Parla Con Me". Comentei rapidamente quando do lançamento do clipe e a letra já foi traduzida aqui no blog. Gosto muito da música e do seu tema super atual. Eros compara essa música a "Terra Promessa", uma canção que tem a minha idade (!), e que não fica velha de jeito nenhum. Ele comenta que naquela época, os ideais perseguidos eram coletivos e que hoje em dia, estamos cada vez mais individualistas. Não deixa de ser verdade.
"L'Orizzonte" começa com um piano bonito, suave. Uma bela canção. Na definição do cantor, “uma clássica canção de amor”.
Eros define a música seguinte, "Affetti Personali", como "uma celebração à amizade verdadeira". Ela me lembra alguma outra música, não sei de quem. Mas eu gosto, acho bonitinha, delicada. É uma das minhas preferidas dos álbum.
"Controvento" fala de separação. É bonitinha, e eu gostei muito da interpretação do Eros. Só acho que ela merecia um refrão mais forte, um refrão digno de "Cose Della Vita" ou "Stella Gemella".
Eros classifica “Ali e Radici”, a música que dá nome ao disco, como "um som rock à moda do U2". Eu não consegui identificar nada de U2 nela. A letra é interessante, fala da dúvida entre voar ou manter os pés no chão, sobre ter “asas ou raízes”. Boazinha, mas só.
"Bucaneve" era a canção que eu mais queria conhecer por causa do nome! Estava curiosa desde que vi o tracklist. Não sabia o que significava e mesmo assim achava a palavra interessante. Esperava muito dessa música e não me decepcionei. Tornou-se a minha preferida. Acho o refrão empolgante, fico com vontade de cantar junto com o Eros! No comentário, Eros explica que a canção fala do "desejo de saborear outra vez as maravilhosas sensações das primeiras paixões". Não é lindo? Em tempo, "Bucaneve" é uma plantinha de flor branca que aparece no final do inverno.*
A seguir, o que Eros chamou de “trilogia social do disco”: “Nessuno Escluso”, “Non Possiamo Chiudere Gli Occhi” e “Come Gioielli”.
A primeira delas, "Nessuno Escluso", me conquistou. Fala de um tema delicado: assumirmos a culpa de o mundo não ser um paraíso e, todos juntos, sem exceção, tentarmos consertar os erros. Nas palavras de Eros, “inverter o rumo, parar de andar à deriva”. Uma utopia, mas não custa tentar.
A décima música é “Non Possiamo Chiudere Gli Occhi”. Eros canta colocando-se no lugar de crianças e mulheres vítimas de violência, bem como dando voz à própria Terra, pedindo que todos abram seus olhos. Tema delicadíssimo. A princípio, eu não tinha gostado da música. A melodia é um tanto diferente, Eros a define como “pura adrenalina eletrônica.” Mas depois de ouvir várias vezes, reconsiderei e agora até gosto dela.
Fechando o disco, “Come Gioielli”. Fala das coisas preciosas que queremos proteger a qualquer custo: “o sorriso de uma criança, o beijo da mãe, um gesto de fraternidade”, nas palavras de Eros. Confesso que não me comoveu.
Concluindo, digo que “Ali e Radici” traz Eros Ramazzotti em excelente forma, num disco quase tão bom quanto o “9", meu preferido. Peca apenas por não ter uma canção com o peso de “Canzone Per Lei” ou "Favola" que, para mim, são as obras-primas de Eros. Por isso descontei um ponto da nota. Mas mesmo assim, “Ali e Radici” é um bom álbum, vale a compra.

Melhor(es) música(s): Il Cammino, Bucaneve, Affetti Personali. Pior(es) Música(s): Ali e Radici, Controvento, Come Gioielli.
Nota: 8.0

*Isso é o que diz o Dizionario di Italiano do Corriere della Sera.

terça-feira, 14 de julho de 2009

Piccoline #6

Neffa: "Sognando contromano" é como se chama o novo álbum de Neffa, ex-integrante do grupo Negazione, lançado três anos após o seu sucessor, "Alla fine della notte". O primeiro single do disco é a ótima Lontano dal tuo sole. Vale também conferir o simpático site do cantor: http://www.neffa.it/

Nek: O terceiro single extraído do álbum "Un'altra direzione" é Semplici emozioni. Poderia escrever linhas e linhas sobre como um cantor dos mais famosos da Itália atualmente não sabe escolher os seus singles, mas deixarei esses comentários para um momento mais apropriado. Sobre o single, o local escolhido para a gravação do clipe foi Trieste.

Simona Molinari: A segunda colocada na categoria "Nuove proposte" na edição deste ano do Festival di Sanremo venceu o "Premio Lunezia Nuove Stelle" com o seu álbum 'Egocentrica'. Acredito que levando em conta apenas o Festival a apresentação dela e da Arisa foram praticamente no mesmo nível. Agora, ao se analisar os álbuns, o da Arisa é muito superior...

Arisa: Falando em Arisa, ela está com novo single: Te lo volevo dire. O terceiro desde fevereiro. O primeiro, claro, Sincerità. O segundo, Io sono, que só se encontra na Internet a prévia do clipe. E agora, Te lo volevo dire. A música é legal, mas sempre quando ouço tenho a impressão de estar ouvindo "Fiori d'arancio" da Carmen Consoli.

Premio Lunezia: Em outras categorias do mesmo prêmio foram vencedores: Dolcenera (Premio Lunezia per Sanremo), Afterhours (Premio Lunezia della Critica), Sergio Cammariere (Premio Lunezia Elite), Pacifico (Premio Lunezia Menzione Speciale), entre outros.

domingo, 12 de julho de 2009

Tradução: È per te, L'Aura feat. Max Zanotti

Prendi un giorno,
Pegue um dia
il più bello che possiedi,
O mais bonito que você tiver
ha il colore
Ele tem a cor
che non dimenticherai mai
Que
você nunca esquecerá

Lascia il pianto

Deixe o pranto
Dove il sole lo riscalderà
Onde o sol possa aquecê-lo
Nel momento
No momento
In cui alla vita ti richiamerà
Em que te chamará de volta à vida

E’ per te
É por você
Che sorriderai,
Que sorrirá
Sarà il tempo di viver
Será tempo de viver
Le cose che hai,
As coisas que você tem
E’ per te
É por você

E quel giorno
E aquele dia
Poi riportalo a me,
Você pode trazê-lo de volta para mim
ne avrò cura,
Eu terei cuidado
è una parte di te!
É uma parte de você!

Ciò che ho perso
Aquilo que eu perdi
È solo a un passo da me,
Está apenas a um passo de mim
l’ho lasciato
Eu o deixei
e lo riprendo perché
E o pego de volta porque

E’ per te
É por você
E’ per te
É por você
e sorriderai,
E sorrirá
Sarà il tempo di viver
Será tempo de viver
Le cose che hai,
As coisas que tem
E’ per te
É por você
E’ per te
É por você

E quaggiù in città
E aqui embaixo, na cidade
Gira voce già
Uma voz já diz
Che la vita è un gioco,
Que a vida é um jogo.
è l’unica che hai!
É a única que você tem
C’è un pensiero che
Tem um pensamento que
Puoi trovare se
Você pode encontrar se
Guardi dritto in fronte a te ed è
Olhar diretamente a sua frente e é
Tutto quello che ti serve
Tudo aquilo que serve
Per cambiare e ricordare
Para mudar e lembrar
Che stai bene ed
Que você está bem e

E’ per te
É por você
E’ per te
É por você
Che sorriderai,
Que sorrirá
Sarà il tempo di viver
Será tempo de viver
Le cose che hai
As coisas que você tem

E’ per te che sorriderai
É por você que sorrirá
Sarà il tempo di viver
Será tempo de viver
le cose che hai,
As coisas que tem
questo è il tempo di viver
Esse é o tempo de viver
le cose che hai,
As coisas que tem

È per te
É por você
che lo fai…
que o faz...

Tradução: Bruna
Revisão: Thay