quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Valentina Giovagnini

No Festival della Canzone Italiana de San Remo do ano de 2002, a Itália foi apresentada a uma jovem cantora da província de Arezzo que defendia uma música de título longo e fortes influências célticas. A canção era Il passo silenzioso della neve, escrita por Vincenzo Incenzo e Davide Pinelli, e a cantora era Valentina Giovagnini, que concorria na categoria Giovani, atual "Nuove proposte". A interpretação surpreendeu positivamente os espectadores do Festival: a canção foi eleita como o melhor arranjo daquela edição do festival e ficou em segundo lugar na categoria em que disputava, perdendo para Doppiamente fragili, interpretada por Anna Tatangelo, em um dos mais contestáveis resultado do San Remo.

A carreira musical da cantora originária de Pozzo della Chiana começou cedo, com aulas de canto e piano, e continuou quando a cantora começou a frequentar a faculdade de Letras com ênfase em Música e Espetáculo, onde aprofundou os seus estudos da cultura medieval e da música céltica.
Com apenas 18 anos, a cantora começou a participar de concursos musicais na sua região e posteriormente em outras regiões da Itália.
Em 1997, em um dos espetáculos que participou, foi notada por Davide Pinelli, o que deu início a uma longa colaboração artística.
No ano de 2001, lançou o seu primeiro single Dovevo dire di no, que abriu as portas para a sua participação no Festival de Sanremo de 2002.

Simultaneamente à participação no Festival, Valentina Giovagnini publicou o seu primeiro álbum: "Creatura nuda", que além da música apresentada no Festival, possuía outras dez faixas. O segundo single retirado deste álbum foi a ótima Senza origine, com a qual Valentina participou do Festivalbar do mesmo ano. Tanto Il passo silenzioso della neve quanto Senza origine evidenciavam que o destaque das músicas da cantora de Arezzo era a originalidade dos arranjos. Algumas canções do seu disco de estreia mesclavam elementos da música medieval com sons eletrônicos. Na sua primeira turnê italiana, ainda no ano de 2002, foram utilizados nas apresentações instrumentos como gaitas-de-fole, flautas, harpas e violas de roda, buscando recriar ao vivo a atmosfera do álbum.
Nos meses seguintes, Valetina Giovagnini foi indicada para o Italian Music Awards na categoria de "Melhor artista emergente" e para o "Premio Titano - Festival di San Marino" na categoria "Melhor artista feminina do ano".
Em 30 de maio 2003, foi lançado o seu terceiro single: "Non piango più", uma música inédita e que seria o seu último trabalho lançado em vida.
Valentina realiza turnês pela Itália nos anos de 2004 e 2005.
Em 2008, a cantora se torna responsável pelo ensino de canto para as crianças na "Scuola comunale di canto di Cortona".
No dia 2 de janeiro de 2009, a cantora foi internada no hospital Le Scotte di Siena em estado grave, decorrente de um acidente automobilístico sofrido na região entre Pozzo della Chiana e Foiano della Chiana. Na noite do mesmo dia, Valentina morre no hospital de Siena, apesar de uma desesperada intervenção cirúrgica dos médicos. O funeral, no qual participaram mais de 2 mil pessoas, foi realizado na igreja paroquial de Pozzo della Chiana.
No dia 15 de maio de 2009 é lançado, póstumo, o segundo álbum de Valentina Giovagnini: "L'amore non ha fine". O álbum é composto por 12 faixas, sendo 10 inéditas, e mais duas ghost tracks.



6 comentários:

Chakotay disse...

Non conosco il portoghese, ma mi fa piacere vedere un articolo in portoghese su Valentina Giovagnini; io ho un blog in spagnolo in cui ho parlato di questa cantante.
No conozco el portugués, pero me alegra ver un artículo en portugués sobre Valentina Giovagnini; yo tengo una bitácora en español en la que he hablado de esa cantante.

Andréia disse...

Che emozionante commento...parabéns, depois de ler este comentário sobre esta cantora, fiquei mais curiosa pra ouvi-la! Infelizmente só ouvi falar em seu nome após a notícia da tragédia...obrigada pelo vídeo!

Thay disse...

Ciao, Chokotay!
Grazie per il suo commento.
Complimenti per il suo blog su Valentina.

Thay disse...

Olá, Andréia.
Primeiro agradeço o seu comentário. Infelizmente, nem na Itália a Valentina teve o reconhecimento pelo seu trabalho. Mas aconselho a seguir a sua curiosidade e bsucar ouvir mais músicas dela. São bem orignais. Pretendo publicar a resenha do último álbum assim que concluí-la.
Thay

Andréia disse...

Oi, fiquei tão curiosa com a música da Valentina que baixei algumas de suas músicas, e simplesmente achei demais, como vc disse, é um trabalho bem original! Ainda não consegui baixar tudo, mas ouvi uma boa parte dos únicos dois álbuns da cantora...muito bons mesmo!
Quando soube da morte dela, nem sequer a conhecia e nem imaginava o quanto faria falta, assim como o Alex Baroni.
Beijos!

Thay disse...

Olá, Andréia!
Fico feliz em saber que a Vale agradou. Esse é justamente o objetivo do blog, divulgar novos artistas italianos para os brasileiros. Se você me permite, recomendo as seguintes canções da Valentina:
- Senza Origine;
- Ogni viaggio che ho aspettato;
- Il passo silenzioso della neve;
- Continuamente,
- L'attesa infinita;
- Metamorfosi.
Tem outras muito boas também, mas essas são, na minha humilde opinião, as melhores.
Espero logo poder concluir a resenha do último cd dela.
Volto a agradecer os comentários!!!
Beijos!!!