segunda-feira, 28 de março de 2011

Nek: E da qui - Greatest Hits 1992-2010 (2010)

Continuando a nossa parceria com o Blog Encartes Pop, o encarte do disco a ser comentado na sequência pode ser visualizado aqui.


Nek é um dos cantores que fico totalmente à vontade para expressar minha opinião, talvez por ele ser o meu cantor preferido. Assim, como já tínhamos comentado aqui, no ano passado estava ansiosa para o lançamento do seu novo cd. Confesso então que foi de certa forma um balde de água fria saber que o novo lançamento seria um "The greatest hits". Pois bem, em 2004 Nek já havia lançado um "The best of". Para quem não está muito familiarizado com a diferença, em tese, é que em um "The best of" são incluídas as melhores canções de um artista, não necessariamente as que foram singles, inclusive singles podem ficar de fora. Já um "The greatest hits" é composto por todos os singles do repertório do artista. Há um detalhe interessante, no The best of Nek - L'anno Zero, o de 2004, todas faixas não-inéditas já haviam sido singles. As duas inéditas, L'anno zero e Almeno Stavolta, foram os singles do cd. O leitor já deve ter entendido onde eu quero chegar. Quem comprou o cd de 2004 agora vê Nek lançar um "novo" cd que contém TODAS aquelas músicas, mesmo as naquela época inéditas, e algumas outras. A única, e mínima, diferença é que no álbum de 2004 as três faixas mais antigas: In te, Cuori in tempesta e Angeli nel ghetto, tem um novo arranjo. No Greatest Hits, são as versões originais. Sobre o fato acho, no mínimo, uma falta de consideração com os fãs. Mas falarei disso mais adiante.
Pois bem, comentemos então o álbum a ser analisado "Nek - E da qui - The greatest hits 1992-2010".

O álbum é composto por 37 faixas, divididas em dois discos. Dessas, três são faixas inéditas: E da qui, Vulnerabile e È con te. E outras três são repetidas em versão live: Laura non c'è, Sul Treno e Sei solo tu.

E da qui é a faixa que abre o álbum e também a escolhida para ser o primeiro single deste trabalho. Comentei brevemente sobre a música e o clipe aqui. Ela é boa, como se espera que sejam todas as músicas lançadas por um cantor que tem o talento do Nek, mas não é nada de espetacular. Mesmo a letra sendo boa, tem partes extremamente batidas como "fare l'amore sotto la luna". Ou seja, por mais que se esforce não dá para amar a canção.

Vulnerabile foi escolhida como segundo single e é, na minha opinião, a melhor das três inéditas. O título lembra a também recente Instabile, mas até aí nada demais, pois a maioria das músicas do Nek tem nomes parecidos. Parece-me muito claro que as melhores músicas recentes do que Nek são as "rock", e Vulnerabile é a prova disso.

È con te poderia ser definida em uma palavra: linda. A letra é tão linda e sincera quanto se espera de uma música dedicada a um filho, expressando todo o amor paterno. Nek foi infinitamente feliz ao compor essa música para a sua primogênita, Beatrice Maria.

O primeiro disco, além das já comentadas inéditas, contempla os singles lançados de 1992 a 2000, e é possível notar facilmente a evolução do cantor tanto na parte vocal quanto na qualidade das letras e melodias. Falarei brevemente de algumas, especialmente para quem não conhece o trabalho do artista de Sassuolo. Cuori in tempesta, que originalmente integra Calore Umano (1994), é uma das minhas músicas preferidas do cantor. Simplesmente amo a voz do Nek na interpretação de 1994. Laura non c'è (1996), Sul treno (2000) e La vita è (2000) são os grandes sucessos presentes neste álbum e realmente são ótimas músicas que mereceram o sucesso obtido. Contudo, afirmo que Tu sei, tu sai (1996); Sei grande (1996); Se io non avessi te (1998); e Ci sei tu (2000) merecem ser ouvidas.

O segundo disco abrange os singles de 2002 a 2009, além das versões live. A versão de Sei solo tu é aquela sem a participação da Laura Pausini, o que de certa forma não é o mais correto, pois o single era o dueto. Entretanto, todo mundo sabe que a relação dos dois foi rompida, logo é possível que um dos dois, ou mesmo ambos, não quisesse a versão mais famosa. De qualquer forma, a música é linda e uma das que tem a audição recomendadíssima.
As oito primeiras músicas desse álbum deixam claro o ótimo período de Nek entre os anos de 2002 e 2005, pois todas são excelentes. São elas: Sei solo tu, Parliamo al singolare, e Cielo e Terra, extraídas do álbum Le cose da difendere (2002); Almeno Stavolta e L'anno zero, do álbum The best of Nek - L'anno zero (2004); e Lascia che io sia, Contromano e L'inquietudine, do disco Una parte di me (2005). Das lançadas em 2006 ou 2009, recomendo Notte di febbraio (2006) e Se non ami (2009). O dueto com David Craig em Walking away (2009) é correto e nada mais.
As versões live são ótimas e nos fazem pensar que esse disco seria muito mais interessante se fosse todo ao vivo, porque neste caso sim teria um diferencial aceitável.

Para este cd tenho dois pareceres. Um é a opinião sobre o cd, que se reflete na nota. É um ótimo álbum, e não poderia ser diferente uma vez que  Nek é um ótimo cantor. Várias de suas músicas poderiam estar entre as melhores não só do ano em que foram lançadas, mas da década também, e apenas para ilustrar cito Laura non c'è  (1996), Sul Treno (2000) e Lascia che io sia (2005). As inéditas mantêm o bom nível, pois são entre boas e ótimas. Ou seja, não se pode negar a qualidade deste trabalho.
Agora, outra coisa totalmente diferente é analisar a pertinência desse álbum neste momento da carreira de Nek. No intervalo do lançamento do The best of Nek para este álbum, Nek lançou apenas três álbuns de inéditas. Ou seja, nada que justifique esse lançamento. Se o pensamento era ter um álbum com todos os singles, um “The Best of” que não tivesse nenhuma outra música que não fosse single é que não deveria ter sido publicado. A impressão que passa é que Nek e/ou a sua gravadora estão querendo faturar duas vezes em cima dos fãs. O que vai totalmente contra a postura totalmente atenciosa e respeitosa que o cantor demonstra para com seus fãs.
Parece, porém, que os admiradores do trabalho do Nek não são tão ingênuos assim, e isso se reflete na vendagem do álbum. Os últimos dados que se tem, o disco vendeu cerca de 70 mil cópias. O anterior de inéditas, Un'altra direzione (2009), conquistou o disco de ouro* já no seu período de pré-venda. A melhor posição que o “The greatest hits” conseguiu na lista dos mais vendidos foi apenas a sétima posição, enquanto o disco anterior que não é nenhuma obra-prima chegou a ficar na primeira posição.

Resumindo, acho o lançamento desse disco, nesse momento, equivocado ou mesmo aproveitador. Porém, Nek continua sendo um incrível artista. Acho, contudo, e digo isso como fã, que não faria mal nenhum esperar mais um ano e ter um disco repleto de ótimas faixas inéditas, como sabemos que ele é capaz de fazer. Ou então, um disco totalmente ao vivo com os grandes sucessos como fez Laura Pausini (Laura Live World Tour 09, 2009) e Ligabue (Sette notti in Arena, 2009). Se ainda assim quisessem uma nova publicação e não houvesse músicas inéditas o suficiente para um álbum, poderia ter sido lançado um EP. E se ainda não houvesse músicas para completar um EP era possível seguir o exemplo da banda Modà e lançar apenas singles, que seriam incluídos no próximo disco de inéditas. Ou seja, várias alternativas poderiam ter sido escolhidas a esse lançamento. Enfim, espero sinceramente que no próximo lançamento do cantor, eu possa apenas elogiar o trabalho, já que isto é o que se espera quando se fala de Nek.


Melhores faixas inéditas: Vulnerabile; È con te.
Pior faixa inédita: E da qui
Nota: 9.0

*padrões italianos.

3 comentários:

Jeff Carvalho disse...

Mais uma excelente sincronização meninas!

Carnevale disse...

Infelizmente vou ter que discordar sobre a opinião da música "E da qui", que - com um ritmo simples e com uma letra sensacional - conquistou todos os fãs da música italiana. Fácil ver isso pelo número enorme de visitas nas páginas oficiais em sites de vídeos.

Thay disse...

Jeff Sim, Jeff! Realmente Excelente =)


Oi, Carnevale. Fique totalmente à vontade para discordar =)
Nek é um grande cantor, qualquer trabalho dele vai ser comentado e pelo menos conferido pelos seus inúmeros fãs. Só acho que E da qui não tem o peso que outros grandes sucessos têm, e aquela parte da letra me lembra a música do Scanu no SR2010 e isso já me desagrada.
Contudo, repito, fique sempre à vontade para dar sua opinião!
Abraços!